Início > Uncategorized > HÉRNIA DE DISCO – O quê é? Como tratar?

HÉRNIA DE DISCO – O quê é? Como tratar?

Hérnia de disco


Oi gente! Depois de um longe perído de recesso aqui no blog, estamos de volta com gás total.

Desculpem o sumiço, estávamos envolvidas em projetos novos, nos virando nos 30 nessa vida corrida de fisioterapeuta! Mas agora, em fevereiro, tudo volta ao normal e o ritmo do blog também! Iremos postar com mais freqüência, visto que há pessoas bastante interessadas em se informar e conhecer – ainda que de forma breve e superficial, como abordamos aqui no blog – os mecanismos da dor e das doenças mais comuns que acometem a maioria das pessoas.

O objetivo desse blog, voltando a ressaltar, é apenas informar e abordar de forma direta, breve e sem muita enrolação cada tópico/assunto de cada post.

Hoje falaremos de HÉRNIA DE DISCO, o quê é? Como acontece? O quê fazer para tratar e prevenir?

Gente, tudo é uma questão de POSTURA! Quantas vezes nos pegamos em uma postura errada, sobrecarregando a coluna de modo desnecessário? Por que precisamos nos abaixar curvando a coluna, enquanto podemos simplesmente dobrar os joelhos? Ao sentar, para que precisamos assumir a posição ‘corcunda’ (apesar de ser, concordo, mais ‘gostoso’)?

Pequenas mudanças de hábito irão fazer a grande diferença daqui uns anos. É como cuidar da pele: limpar, tonificar, hidratar, usar filtro solar, enfim… previne muito desgosto e rugas daqui um tempo. O nosso corpo funciona da mesma maneira: devemos procurar poupá-lo, especialmente a coluna, mantendo-a sempre alinhada e evitando curvaturas bruscas e desnecessárias. É uma medida eficiente de prevenção de diversos problemas: Artrose degenerativa, escoliose, lordose, cifose, retificações, estenose do canal medular, hérnia de disco, entre outras. Detalhe: iremos abordar cada uma dessas doenças aqui no blog (aguardem!).

Já que entramos diretamente no assunto da prevenção, nada melhor do que trazer a definição da hérnia de disco:

Ruptura do anel fibroso com subseqüente deslocamento da massa central do disco nos espaços intervertebrais causados por fatores ambientais (carregar peso, dirigir e fumar, processo natural de envelhecimento), posturais, desequilíbrios musculares. (Urban & Roberts, 1995).

Traduzindo: O disco intervertebral, por diferentes causas, se desloca e se rompe, dependendo do seu grau de classificação. Se essa ruptura for grande, pode comprimir o canal medular, causando sintomas, como:  formigamentos, dormência, fraqueza muscular, diminuição da sensibilidade, etc.

Classificação:

• Por tamanho: relativo ao acometimento do canal (pequena, média, grande, gigante) (KNOPLICH, 2003).
• Por posição: anterior, intravertebral (Sheurmam), posterior (Verderi, 2004).
• Lesão dos anéis fibrosos: extrusa (ruptura em grande nível do anel fibroso com expulsão do núcleo pulposo para o interior raquidiano) ou sequestrada (fragmento herniado migra para cima ou para o interior do canal medular) (Barros, 1997).

TIPOS DE HÉRNIA:

  • Protrusas: quando a base de implantação sobre o disco de origem é mais larga que qualquer outro diâmetro.
  • Extrusas: quando a base de implantação sobre o disco de origem é menor que algum dos seus outros diâmetros ou quando houver perda no contato do fragmento com o disco.
  • Seqüestradas: quando um fragmento migra dentro do canal, para cima, para baixo ou para o interior do forâmen.

Tipos de hérnia de disco

Qual é a causa da Hérnia de disco?

A hérnia é resultado de um desgaste do disco, que está relacionado com vários fatores: estrutura genética do indivíduo, atividade física, peso, tipo de trabalho, etc.. A hérnia não é causada apenas por um fator isolado. Mesmo nos casos em que se manifesta depois de um acidente ou esforço, costumam existir outros fatores que contribuíram anteriormente para o aparecimento do problema.

Por que a Hérnia de disco provoca dor na perna ou no braço?

O disco está situado na coluna exatamente à frente da inervação que sai para distribuir-se nos membros superiores ou inferiores. Geralmente, o núcleo ‘escapa’ de dentro do anel e se dirige para trás, provocando uma compressão sobre a raiz nervosa correspondente. Quando a hérnia está na região lombar, afeta as raízes que inervam os membros inferiores. Quando está na região cervical, afeta as raízes que inervam os membros superiores. Essa lesão da raiz nervosa que se dirige à perna ou braço é a responsável pelo sintoma de dor/formigamento/dormência/perda de força ou sensibilidade no membro.

O que é ciático? E dor ciática?

Ciático é o nome do principal nervo do membro inferior. Esse nervo forma-se da união de várias raízes nervosas que saem da coluna lombar, mais especificamente a nível de L-4 e L-5. Ele começa mais ou menos na altura da nádega e se distribui por todo o membro inferior. A dor provocada por problemas no nervo ou nas raízes nervosas da região lombar, que são as que formam o nervo, é conhecida como dor ciática ou ciatalgia. Uma das causas mais comuns de dor ciática é a nossa protagonista de hoje… a hérnia de disco (lombar).

Pessoal… devemos colocar aqui que, em casos de hérnia de disco, é também comum acontecer a síndrome do piriforme, patologia secundária que não depende necessariamente da hérnia para acontecer. Explico:

“A Síndrome do Piriforme é uma irritação do nervo ciático devido à sua compressão pelo músculo piriforme na sua saída da pelve para a região glútea. O nervo ciático passa debaixo do piriforme, mas em algumas pessoas ele passa através dele, aumentando a probabilidade para ocorrer a síndrome. Se esse músculo, sofrer uma tensão, espasmo, encurtamento ou hipertrofia, o nervo ciático poderá ser comprometido.”

Uma pessoa com diagnóstico de hérnia de disco também pode ter contratura de piriforme, aumentando ainda mais os sintomas causados pela compressão do músculo ciático! Daí a importância do ALONGAMENTO, gentee!! :)

Diagnóstico e exame

O diagnóstico pode ser feito clinicamente, levando em conta as características dos sintomas e o resultado do exame neurológico. Exames como Raio-X, tomografia e ressonância magnética ajudam a determinar o tamanho da lesão e em que exata região da coluna está localizada.

Qual o tratamento da Hérnia de disco?

Na maioria dos casos o tratamento é conservador, não cirúrgico, consistindo de fisioterapia e medicação para controle da dor e inflamação neural e muscular, seguidos de programas de exercícios. A cirurgia é reservada para os casos em que o tratamento conservador não surte o efeito desejado ou em que o nervo está muito lesado e/ou necessita ser descomprimido com urgência.

Quais os exercícios adequados para fazer em casos de hérnia de disco?

Os exercícios devem ser prescritos por um profissional capacitado para julgar as necessidades e capacidades de cada paciente. CADA CASO É UM CASO!! Há vários tipos de exercícios, mas, via de regra, todos visam alongar os músculos e ligamentos, aumentar o movimento das articulações e reforçar a musculatura paravertebral e abdominais.

Como é a cirurgia da Hérnia de disco?

Embora o procedimento básico seja descomprimir a raiz nervosa comprimida pela hérnia, existem vários tipos de cirurgia para este fim, indo desde os tratamentos percutâneos, sem cortes e sem hospitalização, até as cirurgias maiores, com fixação da coluna e colocação de implantes metálicos (artrodeses).

Ainda mais modernamente, surgiram as técnicas de artroplastia, em que o disco intervertebral é reconstruído com próteses que mantém a movimentação normal da coluna. A indicação do tipo específico de cirurgia dependerá do caso de cada paciente, de acordo com um médico especializado, sendo julgados vários fatores para se tomar essa decisão. O procedimento cirúrgico mais comum é a microcirurgia para hérnia discal, procedimento minimamente invasivo. Nesse caso, é feita apenas a retirada da hérnia através de uma pequena incisão nas costas, usando-se o microscópio cirúrgico. Nos últimos tempos, temos substituído o microscópio pela aparelhagem de vídeo, realizando a microcirurgia vídeo-endoscópica, que permite o uso de incisões ainda menores e recuperação pós-operatória mais rápida.

 

 

Acho importante ressaltar, também, o papel do PILATES na prevenção e tratamento dessa patologia e de seus sintomas!

A prevenção pode ser feita através de um programa de exercícios individualizados que envolvem, sobretudo, alongamentos dos músculos glúteos, rotadores internos e externos do quadril; mobilização de quadril e membros inferiores.
Já a ação do Pilates no auxílio do tratamento desta síndrome, trata-se de uma reabilitação com o objetivo de permitir o retorno ao esporte e as atividades da vida diária de forma segura e efetiva. São focados os movimentos, força e flexibilidade dos membros inferiores, exercícios de transferências e que simulam o caminhar, o trote, a corrida, mudanças de direções e saltos; sempre adaptados à individualidade do paciente, seu objetivo, e, no caso de atletas e esportistas, à especificidade da modalidade.
Gente, voltando:
Se estiver sentindo dor lombar ou cervical, PROCURE UM MÉDICO para exames e diagnóstico, pode te poupar de problemas e sofrimento futuramente. Faça um tratamento fisioterapêutico, se for o caso, com profissional habilitado. A saúde é o bem mais precioso que existe! Prevenção é TUDO!
Qualquer dúvida, à disposição por comentários ou e-mail (vide ‘About’)!
Beijos.
Lívia
About these ads
CategoriasUncategorized
  1. Helen Tatiane
    23/04/2013 às 11:20

    Bom dia Livia!

    Qual o e-mail para tirar dúvidas?

    Att:
    Tatiane

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: